segunda-feira, 29 de outubro de 2012

A MIRAGEM DE UM ROSTO

Na boca
o gosto ácido do pecado
que o mundo tanto condena:
            se falar a verdade,
            acima de toda razão,
            além de qualquer coisa que seja.

Nas narinas
o perfume azul da mágica
            de ser vivo
            de ser água-viva
            no oceano de existir.

Nos ouvidos
a santa surdez
            aos ruídos do mundo civilizado
            a sensibilidade
            para os acordes do silêncio.

Nos olhos
uma luz que é fome imensa
            de satisfazer nossa vontade
            de devorar aos outros e a nós mesmos
            e de sermos devorados até os ossos.

Na face
a imagem do pleno-vazio
            de amor
            que tranpassa a alma
            até o nosso desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário